Por Gabriela Boretti

Todas as imagens desse artigo possuem texto alternativo com a audiodescrição resumida (#pracegover).

A comunicação faz parte do ser humano e é indispensável para o seu desenvolvimento psicossocial. Para isso, utilizamos alguns recursos, como a fala, a escrita e a linguagem corporal. Para as pessoas com deficiência visual e/ou auditiva, esse processo tende a ser um pouco mais difícil, e é necessário um método de aprendizagem diferenciado, voltado para as suas singularidades. Para tanto, existem diversos sistemas de comunicação, como: a língua brasileira de sinais (conhecida como LIBRAS), o braille e a LIBRAS tátil. Aposto que você já ouviu falar nos dois primeiros, mas e na LIBRAS tátil?

O Método

Esse método adaptado ao tato é realizado com a mão do surdocego em cima das mãos do interlocutor ou intérprete. Assim, a pessoa com deficiência pode sentir os movimentos e fazer a interpretação da mensagem. É de extrema importância, principalmente para as pessoas que sofrem simultaneamente de cegueira e surdez, pois não necessitam do auxílio da visão e/ou audição, mas sim do toque. É um modo de comunicação, portanto, muito inclusivo para essas pessoas e é fundamental em uma sociedade mais justa e igualitária. 

#PraCegoVer audiodescrição resumida: Em uma sala de aula, duas mulheres estão sentadas em carteiras brancas, uma de frente para a outra. Ambas possuem pele branca e cabelos castanhos. Elas praticam o método de Libras Tátil, através do toque das mãos.
Na foto acima, duas alunas em um curso de Libras Tátil.

É importante entender que conhecer os antecedentes, além do grau de perda da visão e da audição, é fundamental para definir as particularidades do método em cada indivíduo.

Profissionais da Área

O intérprete João Xavier aprendeu o método de ensino de LIBRAS tátil. “Quando a professora Nina Rosa me procurou, tomei um susto. Mas topei o desafio e fui aprender, porque esse foi um momento de aprendizagem. E toda aula de que participamos, aprendemos algo novo; é sempre uma estratégia nova”, ele diz. 

#PraCegoVer audiodescrição resumida: Fotografia. Nela, estão João Xavier, um homem de pele branca e cabelos e barba castanhos, e Stephanie Vidal, mulher de pele branca e cabelos longos e castanhos. Os dois estão sentados em cadeiras de frente um para o outro. Stephanie está com as mãos apoiadas nas mãos de João. Ao fundo, duas mulheres sentadas em cadeiras e uma mulher em pé, em frente a um telão.
Acima, o intérprete João Xavier ensina libras para a aluna Stephanie Vidal, do curso de Pedagogia, que é deficiente auditiva/visual.

Há também o guia-intérprete, um profissional que acompanha a pessoa surdocega para fazer compras, pagar contas, cumprir compromissos profissionais, etc. Assim, o guia realiza a LIBRAS tátil na palma de uma das mãos da pessoa surdocega para lhe passar as informações necessárias.

Atualmente, existem diversos cursos para quem tiver interesse em aprender LIBRAS Tátil. O site Escon possui esse curso online e gratuito. Para participar, basta acessar o site: https://cursosescon.com.br/curso/1045.

É primordial que todos os modos de comunicação sejam disseminados, para que seja possível de fato a inclusão, assim, as pessoas com deficiência terão a real possibilidade de participar e exercer papel de cidadãos conscientes, participativos e reflexivos.