Por Yara Forastieri

Todas as imagens desse artigo possuem texto alternativo com a audiodescrição resumida (#pracegover).

O som é o modo de comunicação mais eficiente reconhecida nos dias atuais. Através dele é possível vivenciar diversas experiências, sejam elas no âmbito pessoal ou interpessoal. Mas já imaginou viver sem escutar nada? Já pensou como isso iria interferir na sua relação com a sociedade e até mesmo com o seu estilo de vida? Já pensou como não escutar também poderia te proporcionar outras vivências? Foi pensando nisso que, em setembro de 2012, o clube holandês Sencity, exportou a primeira noite dedicada à pessoas com deficiência auditiva. A balada exclusiva para surdos, se espalhou por diversos países, chegando ao Brasil, com uma versão multi sensorial e possibilitando diversão à este grupo de pessoas. O diferencial está no piso que vibra juntamente com a frequência do som, que acaba sendo mais grave e que se comporta como uma onda, que é capaz de transportar uma intensa carga de energia. O jogo de luzes, os VJs e os dançarinos que interpretam em LIBRAS também são um diferencial, além do aroma exalado no ambiente que possibilita diferentes sensações aos frequentadores do evento. 

#PraCegoVer Audiodescrição Resumida: Fotografia de um show musical. Nela, há diversas pessoas com os braços para cima. Desfocado, ao fundo, há um palco com holofotes que transmitem luzes roxas.

Outras surpresas, como massagistas, maquiadores, cabeleireiros e artistas de circo fazem uma participação especial, realizando performances para tornar a noite ainda mais mágica. 

A ideia é mostrar que todos podem se divertir, independente da sua condição, e que é possível sim existirem espaços que acolham a minoria. A produção de mais eventos como esse vão acarretar em uma maior inclusão.

Curiosidade

A Sencity começou em 2003 na Holanda e já passou pela Bélgica, Finlândia, Espanha, México, Jamaica, África do Sul e Austrália, fazendo dançar mais de 10 mil pessoas.